Tudo sobre os Projetos Sociais desenvolvidos pelo Colégio Anglo-Brasileiro

Monthly Archives: Novembro 2016

A parceria entre o Anglo-Brasileiro e a ONG TETO Brasil foi fechada com chave de ouro! Um grupo de 10 alunas do 2º ano do Ensino Médio, junto com a professora Cristina Abrunhosa, que coordena as ações do Projeto Social, pôs as mãos na massa e construiu uma moradia emergencial para uma família da comunidade Paz e Vida, no bairro de Santo Inácio. Na semana passada, as meninas falaram sobre a inesquecível experiência aos colegas do 1º e 2º EM.
No auditório, as dez alunas que participaram da intervenção – Beatriz Costa, Betina Braga, Elisa Oliveira, Fernanda Stringuetti, Jullia Correia, Luanna Mello, Luisa Nogueira, Samitha Leal, Sofia Madeira e Vitoria Avelar – falaram sobre as ações que foram realizadas no colégio para arrecadar R$ 6.500,00, valor necessário para a construção. As turmas do 2º EM organizaram bazares, vendas de doces, rifas, barracas de jogos, pediram doações, entre outras ações.
Elas também contaram sobre a rotina nos dias que permaneceram na comunidade. O grupo acordava cedo, participava de atividades de formação com os monitores da TETO e estudantes de outros colégios, nas quais se discutiu sobre Meritocracia, e passava o restante do dia trabalhando pesado.
Sob sol e chuva, todas cavaram buracos, carregaram peso e contribuíram com sua força de trabalho para dar mais dignidade a uma família. As alunas construíram uma casa para Ingrid, uma jovem mãe que mora com seu marido e um bebê recém-nascido. “Foram momentos muito ricos, que nos fez pensar sobre o significado da vida, nos fez rever nossos valores e nos mostrou que podemos, sim, transformar e fazer coisas bacanas de modo prazeroso”, disse Cristina.
Vitória contou que teve um choque de realidade muito grande. “É chocante chegar e ver famílias iguais a sua morando em barracos de madeira, usando um banheiro comunitário. As condições de moradia são desumanas. Tiramos uma parte da casa antiga de Ingrid e saiu um monte de bichos, baratas, aranhas. São animais que muitos de nós temos medo ou nojo, mas eles têm que conviver com isso”, relatou. Elas também destacaram a solidariedade dos moradores. O grupo pôde ver que eles têm uma noção de comunidade muito grande e se ajudam sempre que preciso.
Para Fernanda Stringhetti, a experiência foi uma possibilidade de ver de perto uma realidade que todos sabem que existe, mas poucos têm a noção real do que realmente é. “Estar lá e poder vivenciar coisas que eles vivenciam valeu muito a pena. A gente pôde perceber o quanto somos privilegiados e o quanto podemos ajudar. Somos uma pequena parcela da população que se preocupa com o outro, com a qualidade de vida do outro, e estamos exercendo um pouco do nosso papel de cidadão”, disse Fernanda.
Para Jullia, o aprendizado fica para a vida inteira. “É uma mudança de visão. Quando você chega em casa à noite e olha para o seu quarto, não é a mais a mesma coisa. Eu esperava ver o que eu vi, mas não esperava senti o que eu senti lá”, comentou.
No final de semana seguinte à construção, parte das alunas voltou à Paz e Vida, acompanhadas da diretora e professora Áurea Lima, para dar mais cor à comunidade. Elas cumpriram mais uma etapa da ação da TETO e participaram da pintura da casa.
A ex-aluna Anglo Beatrice Santigo, que é voluntária na TETO Brasil, acompanhou a parceria no colégio desde o iníco e foi convidada pelas alunas para falar sobre sua vivência na ONG. “Sempre me incomodei com os preconceitos relacionados à desigualdade e me identifiquei totalmente com a TETO. Eles estão empenhados na mudança todo os dias, é um espaço muito acolhedor onde não se tolera nenhum tipo de discriminação. Acho bacana o Anglo ter abraçado essa causa”, ressaltou.
Parabéns, meninas! A experiência foi realmente transformadora. Ano que vem, a parceria continua.
Anúncios