Criatividade, disposição e muita vontade de ajudar. Estes são os elementos básicos para garantir o sucesso da nova parceria do Projeto Social do Anglo-Brasileiro com a ONG TETO. Uma das ações da instituição, presente em 19 países da América Latina, é a construção de moradias de emergência em comunidades de extrema pobreza. Todo o colégio poderá colaborar efetivamente com o trabalho da TETO. Além disso, alguns alunos terão a oportunidade de pôr as mãos na massa e construir uma casa para uma família atendida pela ONG.
Representantes da TETO na Bahia visitaram as turmas do 2º ano do Ensino Médio, que irão encabeçar as ações no Anglo, para explicar a iniciativa. Cada moradia custa R$ 6.500,00. Esse valor será integralmente arrecadado pelos alunos em atividades planejadas por eles e realizadas no colégio. “As turmas ficaram muito sensibilizadas e estão cheias de ideias para captar recursos para a construção da casa”, afirmou a professora Cristina Abrunhosa, responsável pelos Projetos Sociais do Anglo.
Se tudo der certo, um grupo de 10 alunos maiores de 16 anos – o número de estudantes e a idade são definidas pela TETO – já participa da primeira construção no mês de maio. Os voluntários chegam à comunidade numa sexta-feira à noite e permanecem até o domingo. Como não leva tijolos e cimento, materiais de uma casa tradicional, a moradia pode ser totalmente construída em um final de semana.
Foto: Danilo Cardoso/Facebook Teto
A casa emergencial tem 6,1 x 3 m e é feita de madeira. O imóvel não é uma solução definitiva para a falta de moradia. É apenas o primeiro passo para o trabalho em conjunto. A ideia é que, com uma habitação mais digna, as famílias possam readquirir sua autoestima e começar a batalhar por mais qualidade de vida e um melhor lugar para morar.
Além de construir as casas, com a ajuda de voluntários a ONG realiza um trabalho de imersão nas comunidades que visa mobilizar e organizar a população local. O objetivo é fortalecer a localidade, identificar quais são os maiores problemas enfrentados pelos moradores e encontrar possíveis soluções. Todo o processo é uma ação conjunta entre os líderes comunitários, a população e os voluntários. “Os alunos poderão conhecer de perto a realidade local”, disse Cristina.
Os pais foram apresentados à nova parceria durante o Open House e serão informados a cada nova etapa.
Anúncios