Os alunos do 6º ano M foram ao Lar Vida, uma casa de acolhimento para portadores de necessidades especiais e distúrbios comportamentais, e viram de perto o trabalho realizado, além de conhecer crianças, jovens e adultos beneficiados pela instituição. A visita foi uma das atividades do Projeto Social do Anglo, coordenado pela professora de Sociologia Cristina Abrunhosa.
Empolgados com a atividade, os alunos usaram fantasias para alegrar os residentes e planejaram algumas brincadeiras. “Alguns levaram violão para cantar cantigas de roda, outros levaram folhas de cartolina e lápis de cor para desenhar”, listou Cristina. No abrigo, os alunos foram recebidos pelos residentes e alguns de seus acompanhantes, além do professor de Educação Física do Lar Vida Leonardo Vieira, que entrou na brincadeira junto com as crianças. “Leonardo realizou atividades pedagógicas em que cada aluno nosso auxiliava um residente”, disse Cristina.
Depois das brincadeiras, nada melhor que um lanche para repor as energias. A turma levou bolo de chocolate, pãezinhos, salgadinhos e brigadeiros para compartilhar. Como os moradores do Lar Vida têm uma rotina que deve ser respeitada, eles não puderam saborear o lanche quando foi oferecido, no final da manhã, pois já estava no horário do almoço. Mas, as deliciosas guloseimas foram adequadamente guardadas para serem servidas no lanche da tarde.
A professora Cristina avaliou a saída de forma bastante positiva: “Foi ótimo! Nossa turminha interagiu bastante com os residentes e todos se divertiram”, afirmou. Para os alunos, o encontro foi muito mais que diversão, foi uma verdadeira lição de vida. De acordo com Ana Luísa Mattos, a visita deixou a importante mensagem de dar valor às coisas  que conquistamos e a nossas atividades diárias. “A gente tem que valorizar quem somos e o que temos porque muitos queriam as mesmas chances e não podem porque têm alguma limitação”, disse.
“Nós vimos vários casos de superação. Pessoas que, apesar de suas limitações físicas, querem fazer as mesmas coisas que todo mundo e lutam por isso. Conhecemos, por exemplo, um menino que tem uma deficiência nos pés, mas gosta de jogar futebol e a forma que ele encontrou para participar foi jogar com as mãos”, contou Arthur Cardoso. Segundo ele, essa experiência o fez valorizar e agradecer anda mais até mesmo pelas coisas simples que tem.
Já Maria das Graças da Silva afirmou que, em sua opinião, não devemos ter pena dessas pessoas, mas sim orgulho da força de vontade de todos eles. “Eles se esforçam muito para garantir avanços positivos. Por isso, devemos nos orgulhar muito pelo exemplo deles”, pontuou a aluna.
O Lar Vida, localizado na Estrada Velha do Aeroporto, abriga aproximadamente 130 pessoas portadoras de necessidades físicas e distúrbios de comportamento. Os residentes recebem terapia ocupacional, participam das aulas na escolinha e, através de convênios com escolas profissionalizantes e faculdades nas áreas de enfermagem e fisioterapia, têm acesso a outros serviços.
Para conhecer melhor o Lar Vida ou colaborar com esse trabalho, entre em contato pelo telefone (71) 3393-3342. Eles aceitam doações de alimentos e itens diversos, além de ajuda voluntária profissional e, claro, carinho e atenção.
Anúncios