O Projeto Social do Anglo chega ao fim de mais um semestre cumprindo um cronograma cheio de atividades diversificadas e muito enriquecedoras. Diferente do que acontece normalmente, os alunos, nesse período, trabalharam também com associações de animais abandonados e de pessoas com alterações comportamentais.
Recém-chegado, Apolo posa ao lado de sua nova família 
No 7º P, por exemplo, Rafael Povoas, além de curtir cada minuto ao lado dos bichinhos visitados, fez questão de levar para casa Apolo, um labrador que já se tornou o xodó de sua família. “Adotei Apolo com o auxílio de Eni [Eniara Figueredo, professora de Educação Física]. Ela já tem o costume de ajudar animais em situação de risco. Apesar de ter sido abandonado, ele veio completamente saudável, como é a maioria dos cães que vivem nestas associações. São animais dóceis, mas bem carentes e, por isso, necessitam de atenção”, contou o aluno.
Na opinião de Rafael, o projeto com foco nos animais cumpre um papel muito importante para a sociedade: “o número de animais abandonados é enorme. Sem iniciativas como essas, eles adoecem, têm filhotes e acabam transmitindo as doenças, deixando a população em estado de alerta”.
Quem também fez uma bonita parceria com uma nova organização foi a turma do 8º C, que trabalhou ao lado de pessoas com distúrbios de comportamento na Associação Evolução Inesp. Localizada no Imbuí, a instituição recebeu a visita do Anglo e contou com a doação de vários produtos de limpeza que os alunos recolheram no Ensino Fundamental I.
“Fizemos ainda um lanche coletivo e doamos R$ 240”, lembrou a professora Cristina Abrunhosa, coordenadora do Projeto Social no colégio. Segundo ela, a ação foi uma opção do grupo: “foram eles quem escolheram o tipo de instituição que queriam conhecer e o tipo de ação social desenvolvida. Ao final, eles apresentam um vídeo”.
“Baba” com alunos do Anglo e membros da associação  
Além de todo esforço coletivo, a aluna Maria Eduarda se comprometeu a levar um profissional com a devida aparelhagem para cortar a grama do local. Ela, que afirmou ter gostado muito da atividade, desabafou: “às vezes ficamos tristes por besteiras e, agora, vemos que existem situações bem mais complicadas”.
De acordo com Cristina, a diretora da Inesp – Célia Carvalho – também ficou contente com a visita da escola. “Ela me disse que muita gente vai até lá, mas poucos se comprometem socialmente”, recordou.
Parabéns, pessoal! Este tipo de ação nos enche de orgulho. Que venham muitas outras no próximo semestre!
Confira, em nossa página do Facebook, mais registros do Projeto Social. As imagens são da professora Cristina. 

 

Anúncios